Burnkill

Burnkill

Pouso Alegre/MG

Reviews postadas

Augusta 339 em 2017

Prós: Ambiente e hospitalidade.

Contras: Cachê (pelo menos em nossa negociação e o que vemos hoje em dia) portaria.

Conselhos para proprietários: Bateria, divulgação e a questão do cachê.

Mister Rock em 2018

Prós: Aparelhagem impecável, palco excelente e espaço amplo.

Contras: Poucas oportunidades para quem não é da região de Belo Horizonte.

Conselhos para proprietários: Abrir mais espaço para bandas de fora da região residual.

Release

"MATANDO" COM SUAS PALHETADAS Nós nascemos no Brasil. Tudo é mais difícil. Se você faz heavy metal então... é o mesmo que aquele senhor acompanhado do seu realejo, tentando chamar atenção na avenida mais famosa da cidade. Com a profusão de celulares, ninguém dá a mínima bola para o pobre papagaio que tira o bilhete da sorte, enquanto o seu dono gira o realejo. Ele precisa fazer um trabalho hercúleo para conseguir que alguém ouça o seu som. Uma banda de metal é mais ou menos como o papagaio em sua "profissão", a banda precisa de todas as formas encontrar um jeito de se destacar. O Burnkill se esforça ao máximo para que o grande público o reconheça. Atual formação: Antony Damien (Vocalista), Felipe Marinho (Guitarrista), Ivan Lopes (Guitarra), Jorge Luiz (Baixo) e Anderson Lima (Baterista) são uma talentosa banda de Pouso Alegre(MG), formada em 2014. O Burnkill participou de grandes festivais, entre eles: Aneurose Festival 2016, Hardcore Union Thrash, realizaram o seu próprio festival- Hole of Metal, com grandes bandas da região. Em 2016, a banda lançou o seu primeiro trabalho, o álbum "Guerra e Destruição", e desde o lançamento, muitas críticas positivas, e elogios gratificantes para a banda. O mais significativo, até então, veio da conceituada revista Roadie Crew, na edição de setembro, o disco foi resenhado e em novembro a banda concedeu uma entrevista aos jornalistas da revista. O videoclipe da música "Cadáver do Brasil" , também lançado em 2016, vem tendo uma ótima aceitação dos headbangers. Com destaque para as manifestações que ocorreram nos anos de 2014- 2015, o clipe é um retrato do Brasil ao som de um violento thrash metal. O Burnkill é uma rapaziada que sonha em trilhar o caminho de Sepultura, Claustrofobia, só para citar duas bandas que são influências para os pouso-alegrenses. A banda canta em português, o que é raro no metal, e assim como o realejo no começo do texto, Burnkill deseja alçar voos cada vez mais altos, não ficar preso, estagnado, nem que para isso, tenham que afastar alguns urubus que sempre estão no caminho. Burnkill, "matando" com as palhetadas, guturais e um Thrash- Death Metal que está à espera de muita gente esperta que curte boa música.